Os anos se passam e diariamente recebemos casos de pacientes com o diagnóstico da prótese de silicone rompida em nosso escritório.

A ruptura, que também é chamada de rotura, pode ser intracapsular ou extracapsular. Porém, infelizmente, poucas mulheres têm conhecimento desse risco antes de decidir pela cirurgia do implante. E quando descobrem o rompimento, entram em pânico e não sabem como agir.

Se esse for o seu caso, fizemos um texto completo sobre o direito da paciente após ruptura da prótese de silicone.

protese de silicone rompida

protese de silicone rompida

Prótese de silicone rompida é um risco?

Segundo a cirurgiã plástica Luciana Pepino, em geral, 10% das próteses de silicone se rompem! 

Já de acordo com o estudo e reportagem do Hospital Sírio Libanês, a ruptura acontece em menos de 1% das próteses, ao longo de 10 anos.

“É causada por microfissuras na camada externa do silicone. Isso pode ocasionar, também, algum grau de inflamação dos tecidos ao redor. Nesse caso, é necessária a substituição da prótese de silicone” segundo Luís Felipe Maatz, cirurgião plástico especialista em reconstrução mamária.

Das complicações a curto prazo (semanas ou meses após a cirurgia inicial), as infecções no período pós-operatório são geralmente as mais comuns. 

“Verificamos a presença das infecções pelos sinais, como febre, vermelhidão da mama e saída de secreção. Nesse caso é indicada a retirada da prótese. É rara, menos de 1% das próteses têm esse tipo de complicação”, explica o especialista.

Apesar de ser considerado um percentual baixo, se avaliarmos que no Brasil, são feitas em média 200.000 cirurgias ao ano de implante nas mamas, pelo menos 2.ooo (duas mil) mulheres apresentam anualmente a prótese de silicone rompida!

O que aumenta o risco para o rompimento da prótese de silicone?

Ainda segundo a cirurgiã Luciana Pepino, algumas situações são potencialmente mais danosas para mulheres com prótese de silicone, sendo importante evitá-las ou ter cuidado adicional quando a atividade não pode ser evitada, como a realização da mamografia. 

Os acidentes de carro estão entre aquelas situações que também não podem ser evitadas, de forma que se a paciente for vítima de uma colisão, precisa ficar atenta ao silicone. 

Desde acidentes de menor impacto podem gerar o rompimento da prótese devido à pressão causada pelo cinto de segurança ou o choque com o airbag. 

Os riscos da prótese de silicone rompida nos primeiros seis meses são maiores. Por essa razão é importante que a paciente tenha cuidado adicional inicialmente e cumpra TODAS as recomendações médicas, combinado?

protese de silicone rompida

protese de silicone rompida

Como saber se a minha prótese está rompida?

A maior parte dos casos de apenas ruptura não são acompanhadas de dor e por isso, reforça a necessidade da realização de exames de imagem como ultrassonografia, rotineira. 

Porém, é comum que o rompimento também seja acompanhado de contratura. E nesse caso, as pacientes queixam de maior dor e incômodo. 

Sempre o primeiro passo é buscar uma avaliação médica do seu cirurgião plástico ou até mesmo de uma mastologista. 

Segundo os profissionais médicos, os exames mais indicados para esse diagnóstico é a Ultrassonografia mamária ou Ressonância magnética das mamas. É comum que a paciente já tenha o resultado na mesma hora.

Caso seja confirmado o rompimento, a indicação é que seja realizada a retirada/troca da prótese.

Preciso retirar a prótese de silicone rompida. E agora?

Após os exames de imagem e a indicação médica para a retirada da prótese, é recomendado que tenha em mãos: 

  • o pedido formulado pelo seu médico solicitando a cirurgia
  • se possível, um breve relatório informando a urgência do procedimento e riscos à sua saúde em permanecer com a prótese rompida. 

Esses documentos são importantes pois, caso a fabricante se negue a custear o procedimento, a paciente deve ter bem documentado a situação do seu quadro e recomendação médica.

Quem deve arcar com a cirurgia de retirada da prótese rompida?

Tendo em vista os direitos da paciente como consumidora, inicialmente, se o produto estiver dentro do prazo de garantia, a fabricante da prótese de silicone deve ser responsável por custear todas as despesas referentes à cirurgia de troca das próteses rompidas, além de procedimentos pós-cirúrgicos e claro, indenizar a paciente pelos danos morais e estéticos causados!

Isso porque, segundo a justiça brasileira, a ruptura da prótese de silicone sem a paciente ter sofrido qualquer acidente ou impacto, como abordamos no início do texto e ainda, no período de garantia, é identificado uma falha na qualidade técnica da fabricação e do produto. Por isso,  o fabricante deve ser responsabilizado.

Informe-se e lute pela sua saúde e justiça!

__________________________________________
Advogada Rita Soares
Defesa do seu bem mais precioso: a vida com saúde!
Email: [email protected]

Clique aqui e fale com a gente pelo Whatsapp!