Apesar de pouco abordada, as complicações no pós operatório de cirurgias plásticas são comuns e não devem ser ignoradas.

Quando a paciente após um procedimento estético-cirúrgico sai do hospital e chega em casa, se distanciando de todo o suporte médico surge uma dúvida: e agora, se alguma coisa sair errada, o que fazer diante de complicações no pós operatório?

A responsabilidade do médico acaba quando eu tenho alta?

Para auxiliar nessa resposta, vou mencionar uma decisão recente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, o qual condenou um cirurgião plástico a indenizar paciente vítima de lesões e infecção pós-cirúrgica.

De acordo com esse processo, a paciente se submeteu a uma mamoplastia e abdominoplastia, tendo recebido alta médica no dia seguinte. Alguns dias depois, verificou que havia uma enorme ferida na região abdominal, sendo constatado, posteriormente, que a lesão foi ocasionada por uma necrose.

Apesar de ter informado ao médico acerca da ferida  cinco dias depois, conforme e-mails trocados entre eles, o contato pessoal com o médico somente ocorreu 11 dias após a cirurgia.

Segundo o juiz, “fotos anexadas aos autos comprovam a gravidade das lesões sofridas pela autora e as mensagens trocadas entre paciente e médico revelam que não houve o cuidado necessário por parte do profissional”.

Pode-se constatar, inclusive, que o médico passava as orientações para fazer o curativo por whatsapp, quando orientou a autora a cortar o dreno com uma tesoura.

“Verifica-se, ainda, a dificuldade da autora em marcar o retorno ou uma consulta com o réu. A autora foi atendida no dia 03/01/2014, quando foi constatada a necrose de tecido, sendo que, posteriormente, a ferida continuou aumentando e passou a apresentar odor forte e secreção. Apesar de ter informado novamente ao médico seu estado de saúde e suas preocupações, não foi prontamente atendida. Da mesma forma, apenas recebia informações e orientações via celular”, destaca o juiz.

 

Após complicações no pós operatório, a busca por um novo médico.

Além de toda essa situação, a paciente teve que procurar auxílio de outros médicos e ficou internada por 16 (dezesseis) dias, tendo corrido risco de morte, pois a lesão poderia ter ensejado um quadro de infecção generalizada, conforme atestou laudo pericial.

“quanto às cicatrizes deixadas e à forma de proceder do médico durante o pós-cirúrgico, quanto ao resultado indesejado experimentado pela autora, houve conduta culposa por parte do médico, por falta de cuidado com a paciente no seu restabelecimento cirúrgico”, concluiu o julgador.

A condenação diante de complicações no pós operatório

Firme nessas razões a Turma condenou apenas o profissional médico,  afastando a responsabilidade da clínica onde foi realizado o procedimento,  por constatar que o médico não tinha qualquer vínculo trabalhista ou comercial com a clínica, e que a autora não apontou qualquer deficiência nas instalações, equipe de enfermagem ou instrumentos do estabelecimento.

Também reconheceu a responsabilidade do médico e o condenou a indenizar a paciente em danos morais, materiais e estéticos. 

A responsabilidade do cirurgião plástico em caso de complicações no pós operatório

Como vimos no exemplo acima, a responsabilidade do médico vai bem além do próprio momento em que a cirurgia termina. Ainda que após o término da cirurgia, a paciente retorne para casa, cumprindo todas as recomendações médicas, se ela vir a se sentir mal, o profissional de saúde deve lhe atender e tomar as medidas necessárias para controle e cuidado do caso.

Lembre-se que cirurgião plástico, ao oferecer seus serviços, compromete-se a alcançar o resultado estético pretendido. Caso ocorram falhas nos procedimentos ou os resultados não sejam obtidos, o cliente pode acionar a Justiça para reparar eventuais danos morais e materiais.

O que importa considerar é que o profissional na área de cirurgia plástica, nos dias atuais, promete um determinado resultado (aliás, essa é a sua atividade-fim), prevendo, inclusive, com detalhes, esse novo resultado estético procurado.

Fique atenta aos seus direitos e, caso  não deixe de entrar em contato com um advogado de confiança!

Para te auxiliar, gravei um vídeo sobre o que fazer caso a cirurgia plástica dê errado. Espero que te ajude!

Esse texto foi útil pra você?

Aproveite e compartilhe informação com quem precisa! Se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários.
Se preferir, entre em contato:

Email: [email protected]
Redes sociais: @ritasoaresadvogada
WhatsApp: +55 61 9 9263-5705

Author

Write A Comment

Como posso ajudar?Contato com a Advogada
+